janeiro 25, 2019

A Mudança do ser (Reco-reco)

A imaginação é uma capacidade ímpar, ampliada e alastrada nos ares do acampamento. Quando a representação de objetos e a fluência das qualidades dos mesmos conseguem […]
janeiro 25, 2019

Namastê! (Conga e Xequerê)

Os Conga e Xequerê sentaram confortavelmente com a coluna ereta, pernas cruzadas, e relaxaram ao som do OM. Respire lentamente pelo nariz, solte o ar pela […]
janeiro 25, 2019

Vou desafiar você

Aqui no Arraial a gente nunca tá sozinho. Sempre pode contar com os amigos e tios. E é sobre isso a alvorada Meio Metade. Meio Metade, […]
janeiro 25, 2019

Ursos Carinhosos (Bongô e Reco-Reco)

Depois de terem vivido um super campismo maravilhoso juntos, os grupos Bongô e Reco-reco descobriram que como banda os dois instrumentos tocam muito melhor. Uma linda […]
janeiro 24, 2019

Quem sabe faz ao vivo (Djembê)

Passaram uma sede danada hoje na Guerra da Sede e por isso estavam loucos pra brincar com água, mas toda história precisa de conflito e preciso […]
janeiro 24, 2019

I have a dream (Xequerê)

Como fazer um sonho: Massa: 500 g de farinha de trigo 2 gemas 2 colheres de chá de açúcar 30g de fermento 3 colheres de sopa […]
janeiro 24, 2019

Por um fio (Balafô)

Um nó, uma volta, outro nó. Braço esquerdo – acima do cotovelo, ao lado do coração. Começa a luta, o fio pulsa nos compassos dos batimentos. […]
janeiro 24, 2019

João-de-Barro (Conga)

Acampantes-passarinho Presenteados com encontros e reencontros Voaram para longe dos seus ninhos E levaram consigo seus miúdos corações metamorfóticos Meio larva, meio borboleta. Aqui e agora […]
janeiro 24, 2019

Balafô neles! (Balafô)

Aqui no arraial não tem pra Giba, Lucarelli, sequer Bernardinho: acampante é melhor que superliga. O grupo saiu do vôlei e foi pra a sadia rivalidade […]
Acesso dos pais